Histórias de Tenente - O meu primeiro dia na EsPCEX

Eu nem te conheço, mas eu posso garantir uma coisa: com certeza você já ficou viajando, durante os estudos ou antes de dormir, pensando sobre como serão os dias após a sua apresentação na EsPCEX! Acertei, não é mesmo? Tenho certeza que sim! Isso é super normal e saudável, aliás, algo que eu fazia com grande frequência (só tome cuidado para não perder tempo demais sonhando e esquecer de realizar).


E se você já acompanha minha história a bastante tempo, sabe que eu sou natural de Caruaru - PE, nunca tinha ido pra muito longe, me afastado da minha família por muito tempo ou viajado de avião e vivia uma vida simples com a minha família (CLIQUE AQUI e conheça um pouco mais da minha história). Portanto, um dos grandes choques que tive, logo nos primeiros dias, ao chegar na cidade de Campinas - SP, foi cultural, afinal, esta é uma cidade gigantesca, com um ritmo e custo de vida totalmente diferentes dos que eu estava habituado.

Os primeiros dias na EsPCEX são realmente muito especiais (e difíceis) na vida de todos os candidatos aprovados no concurso.

No dia da minha apresentação na EsPCEX, lembro bem que um sentimento muito bom, de estar alcançando algo novo e realizando um sonho, tomou conta de mim. Era nítido, em todos os candidatos (durante a adaptação ainda não somos chamados de alunos), uma mistura de felicidade, motivação e medo.


FELICIDADE por estarmos alcançando o nosso objetivo, nosso sonho, afinal, todos ali tinham histórias de muita superação, onde muitos, inclusive, dedicaram-se por anos, sendo reprovados por várias vezes até conquistarem a sua vaga.


MOTIVAÇÃO por estarmos iniciando aquilo que tanto imaginamos, por tanto tempo e finalmente termos a oportunidade de tornar aquilo realidade. Naquele momento nós queríamos aprender coisas novas, abandonar de vez aquela rotina intensa de estudos que, geralmente, se torna solitária e monótona, e mergulhar de vez no mundo militar, no universo que escolhemos viver.


MEDO por estarmos ingressando em uma ambiente completamente novo, sobretudo para aqueles que, assim como eu, nunca haviam travado nenhum tipo de contato com nada relacionado ao militarismo. Mesmo os alunos que eram filhos de militares e/ou haviam estudado em Escolas Militares (CLIQUE AQUI e veja esse vídeo sobre essas instituições), também tinham esse sentimento, afinal, haviam escutado diversas histórias sobre o período de adaptação mas, na realidade, nunca tinham vivido.


Depois da nossa identificação, fomos encaminhados para as nossas companhias e, em seguida, para os alojamentos, onde identificamos as nossas camas e armários. Em seguida tive a minha primeira entrevista com aquele que seria o comandante do meu pelotão. Aos poucos, íamos conhecendo uns aos outros, mas ali no primeiro dia, onde praticamente ninguém conhece ninguém e todos estavam incertos sobre o que poderiam ou não fazer, ficávamos meio que calados e ao mesmo tempo ansiosos por fazer novas amizades. Uma coisa muito interessante, que notei logo nos primeiros dias, foi o fato de que apesar de existirem candidatos de todas as regiões do país, nós éramos meio que parecidos. Além da faixa etária, acredito que por termos estudado para a mesma área e tido uma trajetória difícil de estudos, aquilo nos uniformizava de uma forma que, sinceramente, não sei bem como explicar (quando você estiver lá você irá entender).


Dá uma olhada no vídeo abaixo, onde eu conto em detalhes (inclusive com algumas fotos minhas) como foi o meu primeiro dia na EsPCEX. Tenho certeza que irá gostar e que vai te motivar muito!


FÉ NA MISSÃO

1º TEN THIAGO HENRIQUE - CEO E INSTRUTOR-CHEFE DO ELITE MIL

© 2019 por Elite Mil - Cursos Preparatórios. Todos os direitos reservados.

CNPJ: 28.330.809/0001-09