Atenção candidatos da EsPCEX, EsSA, AFA, etc! NÃO deixe de ler esse post!!

Sabe todos aqueles filmes de guerra que você assistiu, livros que leu, jogos de combate que jogou e imagens de tropas operacionais que você viu e se motivou para ingressar em uma Escola de Formação Militar? Pois é, nada disso vai te ajudar na hora H!

No filme é tudo muito legal, guerreiro, mas na hora do "vamo ver" é que se separam os homens das crianças!

"Mas como assim, Tenente?? Eu assisti todos os filmes de guerra do mundo, já zerei todos os Call of Duty e já li todos os livros do Frederick Forsyth! Já vou já chegar na Escola vibrando mais do que todo mundo e nunca, JAMAIS, pensarei em pedir desligamento. Aliás, já vou pedir para fazer o comandos e o forças especiais lá na EsPCEX, pois eu sei que isso vai ser muito tranquilo pra mim e blá blá blá" ...


Calma, pequeno combatente, você conhece apenas a teoria e na prática, a teoria muda!

O que mais vejo, sobretudo hoje em dia, com essa gigantesca facilidade de acesso à informação, são jovens que, no Exército, chamamos de TEÓRICOS DA GUERRA. Acham que sabem tudo e mais um pouco sobre tudo relacionado à vida militar. Acham que tudo é muito fácil e que, quando chegar a sua vez, farão tudo melhor do que todo mundo. Se você tiver a honra de ingressar em uma Escola de Formação Militar, rapidamente identificará esses "Senhores da Guerra" (espero que você não seja um deles, sobretudo se fizer parte da Tropa Elite Mil - os seus Mentores ficarão P da vida com você).


E sabe como você identifica um desses Teóricos da Guerra? Eles são aqueles que mais falam, "pagam embuste", dizem que são os fodões e, na hora que a pressão aumenta, pedem arrego. Isso acontece a todo momento, você vai ver.


E o objetivo desse post aqui é justamente te mostrar como NÃO se tornar um Teórico da Guerra!


A primeira coisa que você deve fazer é FALAR MENOS E FAZER MAIS! A maioria dos teóricos da guerra fazem exatamente o contrário disso e, como disse, não aguentam nem as primeiras "pauladas" - obviamente que estou utilizando o sentido figurado, pois ninguém vai te bater em uma Escola de Formação Militar. Se você não quer ser um desses caras, seja aquele tipo de combatente que está sempre atento e que, calado, sem fazer alarde algum, procura ajudar a todos sempre que eles mais precisam. Faça isso e você será reconhecido e admirado pela pessoa que você mostra que é, não pelo que você diz e tenta impor na base do grito.


A segunda coisa que você tem que saber é que a sua mente é que domina o seu corpo. Existem muitas coisas, muitas mesmo, que você precisa saber e que, na verdade, irá aprender durante a sua formação (várias delas nós já tentamos ensinar aos nossos alunos através do trabalho dos nossos mentores), mas a principal delas é que você precisa URGENTEMENTE aprender a controlar as suas emoções e criar uma mente de aço!


Uma coisa que acontece muito, sobretudo nas semanas iniciais da formação militar, no período que denominamos de adaptação, são jovens que, no impulso, no calor da emoção, ao sentirem a primeira fração de desconforto, abandonam o seu sonho e desistem da carreira militar. E antes que você diga que esse jovens são uns fracos e que você, se estivesse no lugar deles, jamais perderia essa oportunidade, - cuidado para não ser um teórico da guerra - deixa eu te falar aqui algumas coisas muito importantes sobre a formação militar.


Antes de mais nada, você deve entender que a formação em uma instituição de ensino militar vai ser sim desconfortável e, por vezes, dolorosa!


É óbvio que você, sobretudo no início, não vai gostar e vai pensar em ir embora, afinal, você, muito provavelmente, está acostumado a ter uma vida sem nenhum tipo de pressão, onde tem o auxílio dos seus pais e diversas facilidades de uma vida na casa deles. Provavelmente ninguém nunca gritou com você. Provavelmente você nunca teve que fazer nada com tempo cronometrado. Provavelmente você nunca viveu uma rotina intensa como a que terá dentro da Escola, onde acordará por volta das 05h da manhã e dormirá, muitas vezes, após a meia noite! Ou seja, é ABSOLUTAMENTE NORMAL que você não goste disso, ninguém gosta!


E é claro que eu também me incluo nisso, pois eu odiei o meu período de adaptação e sentia vontade de sair de lá a todo momento. Só que eu não fiz isso! Eu lutei contra a minha mente, dominei os meus instintos e ordenei ao meu corpo que permanecesse ali! Mas a todo momento eu tinha que me recordar dos motivos que me fizeram estar ali, o porquê de eu ter escolhido aquela formação e quais as pessoas que dependiam de mim!


Quando pensar em desistir, lembre do porquê você começou. Além disso, pense nas pessoas que estão torcendo por você e que se sacrificaram, junto com você, para que você estivesse ali.

Uma outra coisa que também me dava muita força nos momentos de fraqueza era pensar naqueles que torciam para que eu pedisse desligamento. Dessa forma, a raiva que aquele sentimento me gerava fazia com que, apesar de tudo, eu continuasse na batalha. Faça isso você também, quando pensar em abandonar tudo e voltar para o conforto do lar! E se você ainda não ingressou na formação militar e não conhece o desconforto, apenas a teoria, muito cuidado com o que fala e com os dedos que aponta para os outros, pois você mesmo pode fraquejar no futuro.


Lembre-se de que quem fala demais acaba se tornando um escravo de suas próprias palavras e ao invés de ficar criticando os outros e falando que você é melhor do que eles, preocupe-se em desenvolver a sua mentalidade e se preparar, desde já, para o desconforto e as dores que irá enfrentar na sua formação.


E para começar a sua preparação desde já, dá uma conferida nessa live que fiz com o Major Fujita, chefe da cadeira de Psicologia da AMAN e mentor militar do Elite Mil - Cursos Preparatórios. Tenho certeza que você começara a entender melhor o MÉTODO CHAVE para construir uma MENTE DE AÇO e, dessa forma, não se tornar mais um TEORICÃO DA GUERRA!


BRASIL ACIMA DE TUDO!

DEUS ACIMA DE TODOS!

FÉ NA MISSÃO!

© 2020 por Elite Mil - Cursos Preparatórios. Todos os direitos reservados.

CNPJ: 28.330.809/0001-09