As instruções militares na EsPCEX / AMAN são mesmo tão difíceis?

Muitos candidatos, sobretudo aqueles que, assim como eu antes de ingressar na EsPCEX, nunca tiveram nenhuma experiência militar, como o serviço militar obrigatório, nem contato direto com militares de carreira, tem dúvidas e curiosidades sobre as atividades militares que são realizadas nas Escolas de Formação Militar. Muitos são os mitos que circulam pela internet e muitas pessoas, que na verdade não tem a menor noção do que estão falando, imaginam e inventam histórias que, muitas vezes, acabam sendo prejudiciais e afastando aqueles que sonham em seguir carreira militar.


Mas afinal, as instruções são mesmo tão difíceis? Qual o nível de condicionamento físico e mental exigidos nessas atividades? Quem são os instrutores responsáveis por essas instruções e como elas acontecem?


Bem, vamos falar um pouco sobre isso e desmistificar esse tema para vocês!

A primeira coisa que você deve entender é que tudo no Exército (aliás, nas Forças Armadas) é feito de forma progressiva. Não ache que você vai chegar na EsPCEX e já nas primeiras semanas vai estar correndo e atirando, saltando de paraquedas e fazendo marchas de 50 km com 40 quilos de equipamentos nas costas que nem o RAMBO. Não, combatente, não é assim que funciona. Gradativamente, com o passar do tempo, as atividades vão ficando mais complexas, desgastantes e difíceis, de modo a aumentar a segurança nas atividades e permitir um progresso realmente sustentável e eficiente de todos os futuros Oficiais do Exército.


Sendo assim, as primeiras marchas, instruções de tiro e demais atividades militares serão básicas, pois servirão como uma base para todo o conhecimento técnico que será passado durante os longos 5 anos de formação na EsPCEX e AMAN. Sem uma boa base, um edifício corre grandes chances de desmoronar, não é mesmo? Pois é, por isso mesmo que a formação básica dos alunos e cadetes, realizada na EsPCEX e no 1º ano da AMAN, é levada muito à sério. Lógico que nós, alunos ansiosos por sermos "operacionais", queremos logo fazer as atividades difíceis, porém, com o tempo aprendemos, de uma forma ou de outra, a ter paciência e aguardar a nossa vez. Confesso que isso chega, inclusive, a nos irritar bastante na formação, justamente pelo fato de sermos ansiosos demais para entender como funciona a formação, porém, com o tempo e a experiência, esse conhecimento vem. Dá uma olhada no vídeo abaixo pra entender melhor esse ponto:

Outra coisa super importante que você deve entender é que os instrutores da EsPCEX e da AMAN são extremamente profissionais, selecionados a dedo pelo Comando do Exército Brasileiro, afinal, desempenham um papel importantíssimo, o de formar os futuros líderes da Força Terrestre. E um dos pilares mais importantes, seguidos por todos os instrutores, sejam eles de Escolas de Formação ou não e que aprendemos constantemente, é a SEGURANÇA NA INSTRUÇÃO. Todas as instruções são planejadas e pensadas para serem executadas da forma mais segura possível para todos, diminuindo ao máximo a probabilidade de que aconteçam acidentes na instrução.


Além disso, lembre-se que todos os instrutores já passaram pela formação, ou seja, sabem exatamente o que o cadete está sentindo e a grande maioria também realizou cursos es estágios operacionais na tropa que, certamente, lhe deram experiências ainda mais duras de atividades militares de adestramento. E esse é um ponto muito importante, afinal, quando o instrutor tem esse entendimento, já sentiu na pele o que o instruendo está sentindo, certamente ele terá um conhecimento de causa que fará com que a sua instrução seja dada da forma como ele gostaria de ter recebido.


Se você quer saber mais sobre como são escolhidos os Instrutores das Escolas de Formação do Exército, veja o vídeo abaixo:

Mas e as instruções, como elas são? Bem, em geral, toda instrução militar é dividida em duas partes: teórica e prática. Geralmente, primeiro o cadete recebe a instrução teórica em sala de aula e, inclusive, faz provas sobre esses assuntos, sendo que essas provas fazem parte da grade curricular da formação. Ou seja, da mesma forma que Português, Direito e Economia são algumas das disciplinas que compõem a grade curricular do cadete, as disciplinas militares também irão fazer parte do conjunto de notas, o que irá influenciar na classificação do militar ao final de sua formação.


Após essas instruções teóricas, em períodos específicos do ano, determinados pelo Calendário Acadêmico, são realizados os campos, onde os cadetes permanecem por determinado período, geralmente entre 3 e 6 dias, aplicando na prática aquilo que viram em sala de aula. Agora, é importante que se entenda que TODO militar é formado para atuar em situações de COMBATE, onde as condições de estresse físico e mental são extremamente desfavoráveis. Sendo assim, durante esses campos, os cadetes são submetidos a condições que simulam o estresse causado em uma situação de combate, o que, certamente, envolve sim muitas situações desconfortáveis.


Mochila pesada, frio, racionamento de comida, poucas horas de sono, gritaria... sim, tudo isso fez, faz e fará parte de qualquer formação militar que se preze e que tenha o objetivo de forjar homens e mulheres capazes de agir, com eficiência, em situações de estresse físico e psicológico. Certas coisas não tem como ser ensinadas somente na teoria e a formação militar, sobretudo a formação dos Oficiais e Sargentos, deve preparar homens e mulheres que além de serem capazes de suportar desconforto, fadiga, humilhações, dentre outros fatores estressantes, podem tomar as melhores decisões estratégicas e operacionais para garantir o cumprimento de suas missões. Ou seja, O OFICIAL E O SARGENTO DEVEM SER CAPAZES DE PENSAR COM EFICIÊNCIA, MESMO SOB AS PIORES CONDIÇÕES DE ESTRESSE FÍSICO E MENTAL!


E é por isso que a formação é e sempre será dura! Só que, logicamente, existem alguns mitos, falados sobretudo por pessoas que não tem a menor noção do que é uma formação militar. Um desses mitos é o de que os instrutores agridem fisicamente os alunos e cadetes. Dá uma olhada no vídeo abaixo, onde falo um pouco sobre isso:

Então se a sua dúvida é se você vai carregar mochila pesada, fazer marchas durante a madrugada, passar dias sem dormir, etc. Sim, você vai, afinal, assim é a formação militar. Mas saiba que tudo será feito de uma forma segura e gradativa, de modo que, assim como milhares de outras pessoas que já passaram por essa formação, você também o faça. Como ouvi há alguns anos atrás e repito sempre: "nunca baixe a cabeça diante de outros obstáculos que já foram ultrapassados por outras pessoas", portanto, se outras pessoas já fizeram, por que você não faria?


Mas antes, lembre-se, você precisa se dedicar ao máximo nos estudos para ser aprovado no concurso da EsPCEX, tanto na parte teórica como nas demais etapas. Se você tem interesse em se tornar um Cadete do Exército Brasileiro, não deixe de conhecer o nosso Curso on-line preparatório para o concurso da EsPCEX. CLIQUE AQUI e conheça!


Antes de ir, dá uma conferida no vídeo abaixo, onde eu falo um pouco sobre as 3 atividades mais difíceis da minha formação militar, não deixe de ver, tenho certeza que vai gostar muito!

1º TEN THIAGO HENRIQUE - CEO ELITE MIL

FÉ NA MISSÃO!

© 2019 por Elite Mil - Cursos Preparatórios. Todos os direitos reservados.

CNPJ: 28.330.809/0001-09