A participação de militares estrangeiros em cursos e estágios do Exército Brasileiro

Atualizado: 8 de Nov de 2019

Se você já pesquisou na internet, principalmente no YouTube, sobre os cursos e estágios operacionais que são ministrados pelas Forças Armadas, particularmente no Exército Brasileiro (como os cursos de paraquedismo, guerra na selva, comandos, forças especiais, caçador, etc), já deve ter percebido que é comum a participação de militares estrangeiros nessas atividades. Muitas pessoas, inclusive, contestam essa participação, no sentido de que isso seria algo que atenta contra a segurança do nosso país, uma vez que estes militares de outras nações teriam acesso ao treinamento das nossas Forças e, dessa forma, poderiam obter informações sigilosas.


Seria isso verdade? Além disso, como é feita a participação dos militares estrangeiros em treinamentos brasileiros? Os militares brasileiros também participam de treinamentos no exterior?

Vamos falar um pouco sobre isso neste post! Ah e antes que eu me esqueça, você já recebe os e-mails que escrevo semanalmente com diversas dicas e informações? NÃO?? ARREGO, COMBATENTE! CLICA AQUI e faça parte agora mesmo!!!

Os militares estrangeiros podem participar de treinamentos no Brasil?


Sim, podem. O Exército Brasileiro, assim como a Força Aérea e a Marinha, destina um determinado número de vagas, em alguns de seus cursos e estágios, para que militares de nações amigas possam participar. Em geral, são enviados convites para essas nações para que elas selecionem militares para participarem destes treinamentos. Importante destacar aqui que essa participação não é possível em todos os cursos e estágios, e mesmo nos que são permitidos, em alguns casos, os militares estrangeiros podem não participar de algumas instruções mais sensíveis, onde são abordados assuntos confidenciais ou informações que não devem ser conhecidas por militares de outras nações.


No curso de guerra na selva, por exemplo, o qual tive a honra de concluir no ano de 2015, em determinada etapa do curso os militares estrangeiros foram removidos e não participaram de algumas instruções de caráter mais sensível, retornando ao curso em momento posterior.


Mas por que as Forças Armadas treinam militares estrangeiros?


Para entender isso, primeiro você precisa compreender que somente militares de nações amigas são convidados a participar dos nossos treinamentos, ou seja, o Brasil só oferece esse tipo de instruções para aqueles países com quem possui uma boa relação diplomática. Em segundo lugar, também é muito comum que esses países convidados, ofereçam vagas em seus cursos e estágios para que o Brasil envie os seus militares. Ou seja, o que acontece, na realidade, é uma troca, onde países amigos se ajudam mutuamente para o engrandecimento e adestramento dos seus efetivos. Ao mesmo tempo, por exemplo, que militares americanos vem ao Brasil para realizar o curso de operações na selva do CIGS, o Brasil envia, anualmente, diversos militares para serem adestrados naquele país que, sem sombra de dúvidas, é hoje a maior potência militar do mundo.


E isso acontece com diversos países! Na minha formação na AMAN, por exemplo, tivemos diversos cadetes de nações amigas que vieram realizar a nossa formação conosco. Alguns países, sobretudo Africanos e Sul-Americanos, enviam cadetes para realizar todo o curso de formação de oficiais aqui no Brasil, ou seja, eles passam 4 anos aqui, só retornando aos seus países após a conclusão da formação. O Brasil geralmente não manda os seus cadetes para realizar formações tão extensas fora do país, mesmo por que a Academia Militar das Agulhas Negras é hoje uma da melhores escolas de formação de oficiais do mundo, reconhecida internacionalmente pela qualidade do seu ensino (Saiba mais sobre o concurso da EsPCEX e como se preparar com o Elite Mil - CLIQUE AQUI).


Sendo assim, na minha opinião, não é verdadeiro o ponto de vista de algumas pessoas que dizem que a participação de militares estrangeiros seria algo perigoso para a segurança da nossa nação. Aliás, penso que ocorre justamente o contrário, pois isso é algo que estreita as relações do Brasil com países amigos, fazendo com que esses militares retornem as seus países com um sentimento de amizade e gratidão muito grandes conosco, além do que, isso permite que os nossos militares também participem de treinamentos muito importantes no exterior.


E qual seria a importância dos militares brasileiros participarem de treinamentos no exterior?


Bem, quando um militar brasileiro vai ao exterior e tem contato com novos treinamentos, técnicas, táticas e equipamentos, ele pode regressar ao Brasil e utilizar esses conhecimentos para melhorar a doutrina militar do nosso país. Ou seja, cada militar que se capacita no exterior pode retornar ao Brasil e se tornar um vetor de transformação que irá potencializar o crescimento e a melhoria da nossa própria operacionalidade. Não é a toa que praticamente todos os generais do Exército, em algum momento de suas carreiras, participam de treinamentos no Exterior. Esse tipo de "intercâmbio" além de ser uma grande oportunidade de aprimoramento técnico-profissional, torna-se um momento de expansão de horizontes para o militar, onde ele poderá ter contato com uma nova cultura e, com isso, se engrandecer também como pessoa.


É importante destacar também a importância do militar dominar um ou mais idiomas estrangeiros para poder participar desse tipo de treinamentos no exterior. Dá uma olhada neste vídeo (CLIQUE AQUI), onde falo um pouco sobre esse tema e te dou algumas dicas.


Curtiu? Espero que sim!! Se liga só no vídeo abaixo, onde comento um pouco mais sobre este tema!! Não esquece de se inscrever na nossa lista VIP para receber em seu e-mail conteúdos exclusivos! Tenho certeza que você vai gostar muito!!

FÉ NA MISSÃO!


1º TEN THIAGO HENRIQUE - CEO E INSTRUTOR CHEFE DO ELITE MIL