MARINHA DO BRASIL (MB)

Colégio Naval

O Colégio Naval é um estabelecimento de ensino médio da Marinha do Brasil, sediado em Angra dos Reis, no Estado do Rio de Janeiro. A sua proposta é preparar os alunos para ingressarem na Escola Naval, instituição de ensino superior onde são formados oficiais da Marinha. Por conta disso, o curso no Colégio Naval é conhecido como Curso de Preparação de Aspirantes. No CN os alunos terão instruções militares básicas que os prepararão para, após os três anos de formação, estarem aptos à ingressar na instituição de formação de nível superior da Marinha do Brasil, a Escola Naval, ao mesmo tempo em que recebem sua formação de nível médio. 

Dentre os principais requisitos para ingressar no CN, estão:

     - Ser Brasileiro Nato, do sexo masculino (mulheres não podem realizar o concurso do CN, porém, podem realizar o concurso de admissão à Escola Naval);

    - Ter 15 anos completos e menos de 18 no dia 1º de janeiro do ano do curso;

     - Ter concluído o 9º ano do Ensino Fundamental ou estar em fase de conclusão;

   - Não ser casado ou ter constituído união estável, permanecendo assim durante todo o período em que estiver no Colégio Naval;

Além da prova objetiva, com questões de Matemática, Inglês, Português, Estudos Sociais, Ciências e Redação, são etapas do concurso de admissão a inspeção de saúde e o teste de aptidão física, além de uma avaliação psicológica.

Após serem aprovados na Prova Objetiva, no Teste de Aptidão Física e na Inspeção de Saúde, os candidatos entram no Período de Adaptação, em regime de internato, com duração de três semanas, podendo sair para visitar a família após a primeira. Terminada essa etapa, os rapazes se formam e recebem platinas de alunos do Colégio Naval.

Passada a Adaptação, é iniciado o Curso de Preparação de Aspirantes, com duração de três anos. Durante esse tempo, os alunos estudam disciplinas do Ensino Médio, recebem instruções militares e são custeados com uma bolsa auxílio, além de receberem diversos benefícios, tais como alojamento, alimentação, ajuda para aquisição de uniformes, assistência médico-hospitalar, entre outros.

O regime é o internato, tendo os finais de semana livres, quando não estão de serviço. É preciso que os alunos sejam aprovados para serem aproveitados no primeiro ano da Escola Naval sem a necessidade de fazer concurso externo.

Escola Naval

  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon

A Escola Naval é a instituição de ensino superior da Marinha do Brasil, sendo a mais antiga do país, com o objetivo de formar oficiais para os postos iniciais das carreiras dos Corpos da Armada (CA), Fuzileiros Navais (CFN) e Intendentes da Marinha (CIM).

Existem duas formas para se ingressar na EN: através do Colégio Naval ou através de concurso de admissão à EN, onde os candidatos são avaliados em seus conhecimentos nas disciplinas de Matemática, Física, Português, Inglês e Redação, além de serem submetido à uma inspeção de saúde, testes de aptidão física (TAF) e avaliação psicológica.

Após a aprovação nas Provas Objetivas, Redação e considerado apto na Inspeção de Saúde e no Teste de Aptidão Física, os aprovados dentro do número de vagas são chamados para apresentação na Escola Naval para o início do Período de Adaptação, que tem caráter eliminatório e duração de cerca de três semanas. O objetivo dessa etapa é adaptar e preparar os futuros alunos para as atividades acadêmicas e administrativas a serem desenvolvidas durante o Ciclo Escolar. Nessa fase, ocorrem a Verificação  de  Documentos, realização  da  Avaliação  Psicológica  e preenchimento do Questionário Biográfico Simplificado, que é a fase final da Verificação de Dados Biográficos.

A Escola Naval tem um Ciclo Escolar de quatro anos e um Ciclo Pós-Escolar de um ano, totalizando então cinco anos de formação.

Nos quatro primeiros anos, os alunos são aspirantes ao oficialato e ficam na instituição em regime de semi-internato, estudando de segunda a sexta, sendo liberados no final de semana. Ao final do Ciclo Escolar, prossegue-se a formação dos jovens, com o Ciclo Pós-Escolar, quando os Aspirantes passam à função de Guarda-Marinha. Esse Ciclo é ministrado fundamentalmente para o ensino profissional, com destaque para a aprendizagem prática e de instrução, conduzida em várias organizações militares e a bordo do Navio-Escola Brasil. Na viagem de instrução, toda teoria estudada ao longo dos anos é colocada em prática. Ao mesmo tempo, os aspirantes têm a chance de sentir a cultura geral do futuro Oficial conforme os Guardas-Marinhas conhecem vários países.

Escola de Aprendizes - Marinheiros

As Escolas de Aprendizes-Marinheiros (EAM) atuam na formação de marinheiros para o Corpo de Praças da Armada, sendo considerada porta de entrada para aqueles que pretendem ser praças da Marinha do Brasil. Enquanto estiver no curso, o aluno é considerado Grumete e após a sua formatura torna-se Marinheiro.

A carreira das Praças inicia-se na graduação de Marinheiro, seguida por Cabo, Terceiro-Sargento, Segundo-Sargento, Primeiro-Sargento e Suboficial.

 

O curso tem duração de 46 semanas e é conduzido no regime de internato. 

O currículo das EAM é constituído por disciplinas de ensino profissional básico e ensino militar-naval. Além disso, os alunos participam de viagens de instrução em navios da Marinha e de visitas a organizações militares.  

Desde o início do curso, são ensinados e cobrados dos alunos os princípios básicos da carreira militar: hierarquia e disciplina. A formação é o período em que se busca o desenvolvimento da lealdade, sinceridade, compostura pessoal, firmeza de atitudes, coragem moral, iniciativa, dedicação ao serviço, garbo e tenacidade militar. 

Existem EAM em funcionamento em 4 cidades: Florianópolis (SC), Fortaleza (CE), Olinda (PE) e Vila Velha (ES).

Dentre os principais requisitos para prestar o concurso da Escola de Aprendizes Marinheiros, estão:

    - Ser brasileiro nato ou naturalizado, do sexo masculino;

       - Ter 18 anos completos e menos de 22 no dia 1º de janeiro do ano do curso;

      - Ter concluído o Ensino Médio ou estar em fase de conclusão;

Após a conclusão do curso, o Aprendiz-Marinheiro presta juramento à Bandeira em cerimônia  na Escola e é promovido a Marinheiro, dentro de uma das três áreas escolhidas, sendo assim incorporado ao Corpo de Praças da Armada (CPA). Ele permanece três anos nesta graduação.

No primeiro ano, é designado para servir (preferencialmente), a bordo de Navios da Marinha e também deve escolher dentro de sua área qual especialidade irá cursar no terceiro ano. No total, a Marinha oferece cerca de 30 especialidades.

Curso de Formação de Soldado Fuzileiros Navais

Anualmente é realizado, a cargo do Comando do Pessoal de Fuzileiros Navais, o concurso de admissão ao Curso de Formação de Soldados Fuzileiros Navais (C-FSD-FN). Os Fuzileiros Navais são uma tropa anfíbia da Marinha do Brasil, capaz de projetar o poderio Naval sobre terra, realizando infiltrações via aquática, aérea ou terrestre em pontos que sejam de interesse da força.

Os candidatos deverão realizar provas de Língua Portuguesa e Matemática, além de passar por exames de saúde, testes físicos e avaliações psicológicas durante o processo de seleção. Dentre os principais requisitos para se tornar um Fuzileiro Naval da Marinha do Brasil, estão:

     - ser brasileiro, do sexo masculino;

    - ter, no mínimo, 18 anos e no máximo 21 anos de idade, referenciados em 1º de janeiro do ano da matrícula;

     - ter concluído, com aproveitamento, o ensino médio ou curso equivalente, em estabelecimento de ensino reconhecido oficialmente;

      - ter altura mínima de 1,54m e máxima de 2,00m.

Os candidatos aprovados no concurso e classificados dentro do número de vagas serão matriculados no Curso de Formação de Soldados Fuzileiros Navais e o realizarão na condição de recruta fuzileiro naval. Durante o curso, além de serem proporcionados alimentação, uniforme e assistência médico-odontológica, receberão remuneração como ajuda de custo para as despesas pessoais.

O curso tem duração de 17 semanas e é conduzido no Centro de Instrução Almirante Milcíades Portela Alves (CIAMPA), localizado no Rio de Janeiro e, simultaneamente, no Centro de Instrução e Adestramento de Brasília, em regime de internato e dedicação exclusiva até a formatura.

Corpo Auxiliar de Praças

Os militares da Marinha do Brasil estão organizados em graus hierárquicos, sendo estes de Oficiais e de Praças. As Praças possuem as seguintes graduações: Grumete, Marinheiro, Cabo, Terceiro-Sargento, Segundo-Sargento, Primeiro-Sargento e Suboficial.

As Praças de carreira são organizadas também em Corpos. O Corpo Auxiliar de Praças (CAP) destina-se a executar e apoiar, no nível técnico, as gestões Administrativa, Operativa e de Saúde da Marinha.

Os militares pertencentes a este Corpo exercem, normalmente, atividades nas organizações militares em terra, ou ainda, embarcando em navios de acordo com a necessidade do serviço.

Ingressam na Marinha com ensino técnico de nível médio completo, obtido no meio civil e ao longo da carreira podem realizar cursos de especialização e de qualificação técnica, na Marinha, para alcançar as demais graduações citadas anteriormente.

Os candidatos realizam uma prova teórica composta por 50 questões de Conhecimentos Profissionais da área a que concorre e Redação, além de serem submetidos à exames de saúde, psicológicos e testes físicos. Dentre os principais requisitos, estão:

     - Ser brasileiro nato ou naturalizado, de ambos os sexos;

     - Ter 18 anos completos e menos de 25 no dia 1º de janeiro do ano do curso;

     - Ter concluído o Ensino Médio/Técnico completo.

São previstas vagas para diversas áreas técnicas, como Administração, Administração Hospitalar, Contabilidade, Desenho de Arquitetura, Desenho Mecânico, Edificações, Eletrônica*, Eletrotécnica*, Enfermagem, Estatística, Estruturas Navais, Geodésia e Cartografia, Gráfica, Higiene Dental, Marcenaria, Mecânica*, Metalurgia, Meteorologia, Motores, Nutrição e Dietética, Patologia Clínica, Processamento de Dados, Prótese Dentária, Química, Radiologia Médica, Secretariado e Telecomunicações. (*profissões também previstas no Quadro Técnico de Praças da Armada)

     

O candidato aprovado nas diversas fases do Concurso Público e classificado dentro do número de vagas será convocado a realizar o Curso de Formação, que tem o objetivo de prepará-lo para exercer as funções no Serviço Ativo da Marinha (SAM) e, ao final do Curso, será nomeado Cabo do CAP.

Quadro Técnico de Praças da Armada

A atribuição principal do QTPA é o guarnecimento dos navios de superfície, submarinos e aeronaves da Marinha do Brasil para a execução de tarefas relativas à operação e manutenção de equipamentos e sistemas, à conservação de compartimentos e materiais e da participação em serviços gerais e específicos nesses meios. Porém, também podem ser designadas para funções técnicas ou administrativas.

As Praças do QTPA ingressam na Marinha com o ensino técnico de nível médio completo, obtido no meio civil, e realizam curso de formação militar naval que as capacita para exercer suas atividades profissionais, inicialmente como Terceiro-Sargento, dentro de uma especialidade para a qual concorreram e em que são capacitadas.

Os candidatos realizam uma Prova Escrita de Conhecimentos Profissionais para cada Área Técnica, além de redação. Dentre os principais requisitos estão:

     - Ser brasileiro nato ou naturalizado, de ambos os sexos;

     - Ter 18 anos completos e menos de 25 no dia 1º de janeiro do ano do curso;

     - Ter concluído o Ensino Médio/Técnico completo.

O Curso de Formação é composto pelo Período de Adaptação, Curso de Formação de Sargentos (C-FSG) e Curso de Aperfeiçoamento.

O Período de Adaptação, parte integrante do C-FSG, é a etapa inicial e tem o propósito de adaptar e preparar os alunos para as atividades administrativas e acadêmicas a serem desenvolvidas durante o Curso de Formação, que ocorre no  Centro de Instrução Almirante Alexandrino (CIAA), na Avenida Brasil, na cidade do Rio de  Janeiro.

O Curso de Formação de Sargentos (C-FSG) tem duração de cerca de 30 semanas. Após a aprovação, o candidato é nomeado como Terceiro-Sargento.

Terminado o C-FSG, é iniciado o Curso de Aperfeiçoamento (C-Ap) , com duração de cerca de 25 semanas, com o objetivo de compatibilizar a formação técnica civil à especialidade que irão ter na Marinha. Daí em diante, as Praças do QTPA seguirão um Plano de Carreira definido.

Concluído o C-Ap, o candidato será matriculado no Curso de Subespecialização de Submarinos para Praças que terá duração de cerca de 24 semanas, o qual o capacitará para o exercício de atividades em submarinos.

No prosseguimento da carreira,  serão promovidos a Segundo-Sargento, Primeiro-Sargento e Suboficial, assumindo a cada graduação funções de maior responsabilidade.

Os militares podem se candidatar à realização de diversos cursos especiais e de qualificação técnica. A partir do quarto ano como Segundo-Sargento, podem também realizar o CONCURSO INTERNO (!!) para o ingresso no Quadro de Oficiais, desde que possuam curso superior em área de interesse da Marinha, podendo chegar, assim, até o posto de Capitão de Mar e Guerra.

Concursos de Nível Superior

Assim como na Força Aérea e no Exército, na Marinha também existem concursos voltados para profissionais que já possuem nível superior. São os chamados Quadros Complementares, Técnicos, de Médicos, Cirurgiões-Dentistas e de Apoio à Saúde, além do Corpo de Engenheiros, de Enfermeiros e os Capelães Navais. São disponibilizadas anualmente, via edital, vagas para diversas áreas profissionais, dentre elas: Medicina (Diversas Especialidades), Engenharia (Diversas Especialidades), Ciências Náuticas, Enfermagem e Odontologia (Diversas Especialidades), Direito, Educação Física, Música, Licenciatura, Serviço Social, dentre outros.

Alguns concursos tem idade máxima para admissão de 29 anos, outros de 36 anos. As vagas são divulgadas anualmente em editais que são veiculados através das páginas oficias da Marinha do Brasil na Internet. Além de provas de conhecimentos específicos, também são realizados exames de saúde e psicológicos, além de testes físicos. Os candidatos aprovados nesses concursos será matriculado no curso de formação correspondente e, após formado, inserido no plano de carreira de Oficiais da Marinha do Brasil.